Ativistas pedem que Europa proíba peles de cães e gatos

Defensores chineses dos direitos dos animais saudaram uma proposta da União Européia (UE), para a proibição de importações de pele de cães e gatos, dizendo que a medida forçará o governo da China a melhorar a proteção dos animais.A UE apresentou a proposta na segunda-feira, prevendo a proibição da venda e importação de peles de cães e gatos em todos os 25 países-membros. O comissário europeu de proteção ao consumidor, Markos Kyprianou, disse que os animais são mantidos em gaiolas e abatidos de modo cruel e chocante.A chancelaria chinesa nega que a tortura e crueldade contra cães e gatos seja corriqueira, e disse que o governo vem ampliando a conscientização quanto aos direitos dos animais.Ativistas dizem que milhões de animais são criados para a extração da pele, a maioria na China e outras partes da Ásia."Acho que isso (a proibição) ajudará, é um sinal muito importante para o governo chinês", disse Zhang Dan, vice-presidente da Associação Chinesa de Proteção de Animais Pequenos.Zhang e outros ativistas dizem que os criadores chineses espancam os animais até a morte, e às vezes os esfolam vivos.Para apoiar sua proposta, Kyprianou exibiu vídeos de cães sendo espancados com bastões ou cortados vivos para sangrar até a morte, e o estrangulamento de gatos com fios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.