Ato em SP pede obrigatoriedade do diploma de jornalista

Cerca 200 estudantes de jornalismo protestavam no início da tarde de hoje em frente a um hotel no bairro Jardins, zona sul da capital paulista, contra a derrubada da obrigatoriedade do diploma para os profissionais da área, decidida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na quarta-feira passada. O alvo dos protestos dos alunos de universidades de Campinas, no interior, e da capital do Estado é o presidente da Corte, ministro Gilmar Mendes. Com narizes vermelhos de palhaço e gritando palavras de ordem como "Fora, Gilmar" e "Gilmar Mendes, preste atenção, mais respeito com nossa profissão", os manifestantes querem a volta da obrigatoriedade do diploma.

ANA CONCEIÇÃO, Agencia Estado

22 Junho 2009 | 12h56

Segundo o estudante Felipe Gomes Camargo, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), a decisão do STF "desvaloriza" a profissão do jornalista. "Já sabíamos que o jornalismo era desvalorizado, mas o que aconteceu é inadmissível." Os alunos se concentraram em frente à Faculdade Cásper Líbero, na Avenida Paulista, e saíram em passeata até o hotel. Mendes fará hoje uma exposição num almoço-debate do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), com o tema "A Justiça, o homem e a lei". A Polícia Militar (PM) observava os manifestantes, mas não intervinha no ato, que é pacífico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.