Hélvio Romero/AE - 18/2/2009
Hélvio Romero/AE - 18/2/2009

Atraso em leilão faz cair cotações do algodão

Colheita avança nos principais Estados produtores, mas safra está guardada à espera do pregão

Fabíola Gomes, O Estado de S.Paulo

08 Julho 2009 | 03h38

O atraso na publicação do edital do leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro) poderá anular o efeito benéfico do instrumento de apoio à comercialização do algodão e derrubar ainda mais os preços da commodity no mercado interno. A avaliação é do presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), Haroldo Cunha.

COLHEITA AVANÇA

Ele explica que a colheita está avançando em Mato Grosso, Bahia e Goiás, três grandes produtores, mas os produtores estão deixando de vender a safra por causa da expectativa de participar do leilão. "As vendas estão represadas. Quando o governo soltar o leilão, haverá uma corrida para vender o algodão. O excesso de oferta irá derrubar o mercado", prevê Cunha.

Ainda não há um levantamento mais preciso sobre a safra, mas ele estima que cerca de 15% das lavouras tenham sido colhidas até o momento.

Os produtores dão como certa a realização dos leilões do Pepro, mas cobram uma decisão urgente do governo federal. Por meio dos leilões, o governo federal garante a diferença entre um preço mínimo de referência e o valor de mercado da fibra.

Mais conteúdo sobre:
Agrícolaalgodão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.