Atriz é morta por PM em blitz de trânsito em Presidente Prudente

Atriz é morta por PM em blitz de trânsito em Presidente Prudente

Luana Barbosa estava na garupa da motocicleta do namorado que, segundo a polícia, não parou no bloqueio;atriz levou um tiro no tórax disparado pelo cabo Marcelo Aparecido Domingos Coelho

Sandro Villar , O Estado de S. Paulo

28 de junho de 2014 | 11h56

A atriz Luana Barbosa, de 25 anos, foi morta nessa sexta-feira, 27, pelo cabo da Polícia Militar, Marcelo Aparecido Domingos Coelho, em uma blitz de trânsito em Presidente Prudente, no oeste paulista. Ela levou um tiro no tórax. A atriz, que fez aniversário na quinta-feira, estava na garupa da motocicleta do namorado, o músico Felipe Fernandes de Barros, de 29 anos. Ele não parou no bloqueio, segundo a PM. A versão foi desmentida por amigos do músico, garantindo que Barros procurava um lugar para estacionar quando houve o disparo. 

 Bombeiros socorreram a jovem, que deu entrada no Hospital Regional. Ela não resistiu e morreu pouco depois. O cabo Coelho, de 43 anos, foi preso em flagrante. Ele está no Presídio Romão Gomes, em São Paulo. A arma teria disparado acidentalmente, segundo o cabo, que está há 23 anos na Polícia Militar.

 Ouvido pelo Estado, um porta-voz da PM disse que um inquérito foi aberto para apurar o caso em 40 dias. "Pode ser prorrogado por mais 20 dias", afirmou. Ele não soube dizer se o cabo será expulso da corporação.

 Atriz e produtora. Além de atriz, Luana Barbosa também era produtora de espetáculos teatrais. Ela era integrante da Federação Prudentina de Teatro e Artes Integrados. A jovem foi enterrada no começo da tarde deste sábado, 28, em Rancharia, onde moram seus pais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.