Aumenta a fiscalização da aviação geral no Rio

Autoridades do setor aéreo fizeram uma operação de fiscalização da aviação geral nos últimos quatro dias na capital fluminense e arredores. Um dos objetivos é reforçar a segurança do segmento, que inclui voos de táxi aéreo, helicópteros e aeronaves de pequeno porte, para eventos como a Copa das Confederações e a Jornada Mundial da Juventude, este ano, e a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016, que acontecerão na cidade.

GLAUBER GONÇALVES, Agência Estado

28 de janeiro de 2013 | 20h14

"Queremos que cada vez mais o setor seja mais seguro e que isso faça com que as pessoas voem com mais tranquilidade e qualidade", declarou o ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC) na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que também participou da operação, ao lado do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) e da Polícia Federal. Das 195 abordagens feitas pela Anac, houve falta de conformidade em 25, como ausência de documentação e manutenção de aeronaves.

Dos 1.048 voos fiscalizados pelo Decea, 17 apresentaram algum tipo de irregularidade, tais como descumprimento das rotas estabelecidas e operação em altitudes não permitidas. O Rio de Janeiro têm um grande tráfego de helicópteros que se deslocam para operações de petróleo offshore. Haverá fiscalização em outras cidades do País, porém o governo não informa o cronograma.

Mais conteúdo sobre:
aviaçãofiscalizaçãoRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.