Ausência da princesa Diana será sentida na Abadia

Elton John esteve na Abadia de Westminster 14 anos atrás, ocasião em que cantou "Candle in the Wind" no funeral de sua amiga princesa Diana.

MIKE COLLETT-WHITE, REUTERS

27 de abril de 2011 | 16h09

Na sexta-feira, o cantor britânico estará de volta ao local, como convidado do casamento do filho mais velho da princesa, o príncipe William, uma ocasião feliz em que a ausência de sua mãe vai ser sentida intensamente.

Mais de um milhão de pessoas acompanharam o trajeto do cortejo de Diana, em 1997, para prestar seus respeitos a uma figura marginalizada pela realeza no momento de sua morte, aos 36 anos, em um acidente de carro em Paris, mas que continuava extremamente popular com o público.

Para muitos, a memória de William que continua viva é a de um garoto de 15 anos, com a cabeça baixa, seguindo o caixão de sua mãe pelas ruas de Londres, visto por centenas de milhões de pessoas ao redor do mundo.

"A última vez que estivemos na Abadia de Westminster, o meu coração ficou apertado quando vi aqueles dois garotos caminhando atrás do caixão", disse Elton, referindo-se a William e seu irmão mais novo, Harry.

"Não consigo imaginar a obrigação de acompanhar, em público, em tão tenra idade, o caixão de sua mãe", acrescentou ele em entrevista a Barbara Walters, apresentadora de televisão dos Estados Unidos.

"E a próxima vez que formos à Abadia será para vê-lo entrando pelo corredor central com uma bela mulher, o amor da sua vida", disse Elton, que foi nomeado cavaleiro pela rainha Elizabeth pelos serviços de música e de caridade, acrescentando:

"Acho que é o resultado mais alegre e tenho certeza que Diana estaria muito, muito feliz com isso."

Os executivos de mídia dizem que a "conexão Diana" é uma razão para que o apetite do público pela cobertura do casamento, especialmente nos Estados Unidos, onde tinha muitos admiradores, seja tão forte.

A canção "Candle in the Wind 1997", de Elton John, se tornou o single mais vendido em todo o mundo, com 33 milhões de cópias vendidas.

Observadores da realeza dizem que William fez questão de preservar a memória de sua mãe viva, no momento em que a Grã-Bretanha se prepara para o maior evento real desde a morte da rainha mãe, em 2002.

No ano passado, William, 28, deu de presente à sua noiva de 29 anos o anel de noivado de safira de sua mãe. O casal visitou o túmulo de Diana em Althorp Estate, no centro da Inglaterra, antes do grande dia.

"Tenho certeza que a realeza preferiria que todos esquecessem que Diana existiu, mas esse jovem nunca vai permitir que isso aconteça", disse Joan Lunden, apresentador de TV norte-americano que cobriu o casamento de Diana em 1981 e trabalha para a Fox News no casamento de William.

"(Convidar) Elton John foi uma atitude óbvia, assim como o anel, e quem sabe o que mais vamos ver na sexta-feira."

(Reportagem de Mike Collett-White)

Mais conteúdo sobre:
REALMIDDLETONDIANA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.