Auto-estima ajuda a separar trabalho do amor, diz estudo

Pessoas com alta auto-estima sentem mais apoio do cônjuge quando vão mal no trabalho, enquanto que pessoas de baixa auto-estima acreditam que o amor do companheiro depende do sucesso profissional, mostra um estudo realizado com base em diários mantidos por mais de 150 casais casados. O trabalho, For better or worse? Self-esteem and the contingencies of acceptance in marriage ("Na Alegria e na tristeza? Auto-estima e as contingências da aceitação no casamento") está publicado na edição de julho do periódico Personality and Social Psychology Bulletin, e disponível online.A pesquisa conclui que pessoas de auto-estima baixa acreditam, incorretamente, que o amor e a aceitação do parceiro dependem do sucesso profissional.Nos diários, maridos e mulheres anotaram seus sucessos - e fracassos - profissionais, além do grau de aceitação e amor que sentiam receber do parceiro. A auto-estima se revelou um fator essencial na forma como as pessoas encaram a atitude e o apoio do cônjuge. Homens e mulheres de baixa auto-estima viam o apoio como dependente do desempenho profissional, sentindo-se mais amadas nos dias em que iam bem no trabalho e vice-versa. Já homens e mulheres de alta auto-estima viam o amor do cônjuge como incondicional: de fato, mulheres de alta auto-estima se sentiam mais amadas depois de um dia ruim no escritório.

Agencia Estado,

13 de julho de 2006 | 19h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.