B2W fecha 4o tri com prejuízo duas vezes maior

A B2W encerrou o quarto trimestre de 2011 com prejuízo duas vezes maior que o registrado um ano antes, ainda refletindo problemas com logística e prazos de entrega -cenário que se prolongou ao longo de todo o ano passado- e pressionada pelo aumento da concorrência.

REUTERS

02 Março 2012 | 08h06

A dona dos sites Americanas.com, Submarino e Shoptime teve prejuízo de 28,8 milhões de reais entre outubro e dezembro, comparado a perda de 14,2 milhões no mesmo intervalo de 2010. O prejuízo ficou ligeiramente abaixo da média das previsões de quatro analistas consultados pela Reuters, de perda de 29,8 milhões de reais no período.

No fechado do último ano, a empresa de comércio eletrônico apurou prejuízo de 89,2 milhões de reais, revertendo lucro de 33,6 milhões em 2010.

"No último trimestre de 2010, tivemos instabilidades em nossa operação logística e de atendimento, que nos afastaram em 2011 do nosso maior objetivo: oferecer aos nossos clientes a melhor seleção de produtos, preços competitivos, com a maior qualidade de serviços e o melhor atendimento", afirmou a B2W no demonstrativo.

As perdas vieram apesar do crescimento na receita de 2,1 por cento no trimestre e de 3,9 por cento no ano, para 1,176 bilhão e 4,232 bilhões de reais, respectivamente.

Nessa linha, a companhia viu o custo com mercadorias vendidas e serviços prestados aumentar 10 por cento no quarto trimestre, para 903 milhões de reais.

As despesas operacionais também saltaram, em 22,3 por cento, somando 187,9 milhões de reais no quarto trimestre.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em 101,7 milhões de reais nos três meses até dezembro, queda anual de 47,5 por cento, com a margem caindo de 16,8 para 8,6 por cento.

Para contornar o cenário de instabilidade, a B2W adotou, ao longo do ano, prazos de entrega mais conservadores, o que contribuiu para limitar seu crescimento.

"Conjuntamente, uma política de preço e de frete mais agressiva prejudicou a nossa rentabilidade. Nesta perspectiva, o ano 2011 foi um período de transição onde muitos problemas foram endereçados e corrigidos, mas onde os resultados ficaram muito aquém das nossas expectativas", acrescentou.

Em 2011, a empresa realizou investimentos de 351,6 milhões de reais, voltados principalmente a logística e tecnologia.

(Por Vivian Pereira; Edição de Sérgio Spagnuolo)

Mais conteúdo sobre:
CONSUMOBDOISWRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.