Bahrein informa que bomba caseira feriu quatro policiais

Uma bomba improvisada feriu quatro policiais do Bahrein neste sábado, enquanto a polícia entrava novamente em confronto com manifestantes que exigem a libertação de um ativista de direitos humanos em greve de fome.

REUTERS

05 Maio 2012 | 17h13

A agitação atinge o Bahrein há mais de um ano, com os manifestantes de maioria xiita exigindo mais democracia e o fim do que veem como discriminação no reino governado pelos sunitas.

"Os oficiais estavam lidando com sabotadores, que estavam aterrorizando os cidadãos... e destruindo propriedade pública e privada", disse o chefe da Segurança Pública, major-general Tariq al-Hassan, à estatal Bahrain News Agency.

Um policial ficou gravemente ferido na explosão no início da manhã no vilarejo de Bani Jamra, a oeste da capital Manama, e os outros sofreram queimaduras, disse Hassan.

Protestos exigindo a libertação de Abdulhadi al-Khawaja ocorrem diariamente em todo o estado-ilha do Golfo árabe. O governo esmagou protestos maciços no ano passado com a ajuda de tropas da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos. Khawaja está em greve de fome há três meses, segundo sua família.

Protestos ocorreram mais tarde no sábado na área de Samaheej, ao norte, com a tropa de choque disparando gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, disseram os moradores. Não houve relatos imediatos de vítimas.

Também neste sábado, as autoridades prenderam Nabeel Rajab, um proeminente ativista que chefia o Centro para os Direitos Humanos do Bahrein, no aeroporto Manama, quando ele voltava de Beirute, informou o Ministério do Interior em sua página no Twitter, acrescentando que ele era procurado pela justiça por razões não especificadas.

Mais conteúdo sobre:
BAHREIN BOMBA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.