AFP
AFP

Bairros do Rio têm lixo acumulado no 2º dia sem garis

No segundo dia de greve dos garis do Rio de Janeiro, a cidade amanheceu com lixo espalhado pelas ruas. Os profissionais de limpeza mantêm a paralisação, iniciada à 0h de sexta-feira. A Companhia Municipal de Limpeza Urbana do Rio (Comlurb) informa que houve acúmulo de sujeira neste sábado (14) em alguns bairros da Zona Norte e do centro da cidade.

DANIELA AMORIM, O Estado de S. Paulo

14 de março de 2015 | 15h25

Um plano de contingenciamento foi colocado em prática para tentar minimizar os transtornos causados à população. A determinação legal de que ao menos 75% dos garis voltem ao trabalho não está sendo respeitada, segundo a Comlurb. O sindicato da categoria reconhece que a adesão à greve no primeiro dia do movimento foi praticamente total, mas que a orientação aos trabalhadores já no fim do dia foi que retornassem a seus postos para respeitar à ordem judicial. A pena prevista ao sindicato em caso de descumprimento é de pagamento de multa diária de R$ 100 mil.

"Hoje (sábado) está havendo limpeza em vários bairros da cidade. Estamos orientando rigorosamente os trabalhadores que não impeçam quem queira voltar ao trabalho e que temos que cumprir a determinação da justiça. Estamos agora é reforçando a conscientização sobre o movimento", declarou Antonio Carlos da Silva, vice-presidente do Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro.

Os grevistas fizeram um ato na manhã deste sábado em frente à Prefeitura do Rio, que teve a adesão de cerca de 350 pessoas, segundo estimativas dos organizadores. A categoria reivindica um reajuste salarial de 40% e aumento no auxílio refeição de R$ 20,00 para R$ 27,00. A Comlurb ofereceu como contraproposta um aumento de 7,7% tanto no salário quanto no tíquete refeição, mas não houve acordo entre as partes.

O Tribunal Regional do Trabalho marcou uma reunião de conciliação entre a Comlurb e os garis para a próxima quarta-feira (18). No entanto, de acordo com a companhia, ainda não há previsão de nova rodada de negociações com os grevistas.

Mais conteúdo sobre:
grevegarisRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.