Baleias assassinas também sabem fazer as pazes

Até mesmo baleias assassinas têm disputas domésticas, pelo menos as que vivem em cativeiro. E um novo estudo sugere que, como os seres humanos, as baleias também fazem as pazes - no caso delas, nadando lado a lado. A descoberta permite supor que a reconciliação não é um comportamento exclusivo dos primatas.As relações humanas certamente se beneficiam da capacidade de fazer as pazes, e muitos estudos já mostraram que o mesmo é verdade para chimpanzés, outros primatas e até mesmo, talvez, hienas. Mas a capacidade de promover uma reconciliação nunca tinha sido observada em animais aquáticos. A nova evidência vem de 2.800 horas de observação de baleias assassinas gravadas em videotape. Os mamíferos marinhos estão no aquário de MarineLand, no Canadá. A análise foi feita pelo cientista Michael Noonan.Noonan e seus colegas identificaram 21 pequenos desentendimentos entre baleias. A maioria deles envolveu interações complexas, com diversos animais, mais oito das brigas foram desentendimentos claros entre um casal - um pai e uma mãe. Em cada oportunidade, a mãe iria perseguir o pai, que fugiria dela. Esse comportamento durava por vários minutos, depois dos quais o par se separava e ia para cantos diferentes, e ficariam "esfriando a cabeça" por cerca de 10 minutos. Mas depois disso, em vez de simplesmente retomar a vida normal ao final da tensão, o casal passava a realizar um nado sincronizado, numa aparente demonstração de união.

Agencia Estado,

17 de agosto de 2006 | 13h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.