Balsa afunda com óleo diesel no Marajó, no Pará

No local do acidente, populações ribeirinhas costumam pescar para venda e alimentação

CARLOS MENDES, Agencia Estado

09 de outubro de 2007 | 16h50

O naufrágio de uma balsa com 75 mil litros de óleo diesel no arquipélago do Marajó, norte do Pará, deixou em estado de alerta a Defesa Civil, a Capitania dos Portos e órgãos ambientais depois que foi verificado o vazamento de alguns tambores.   O acidente aconteceu no final da semana passada no canal Caracará do Arari, mas somente na segunda-feira, 8, chegou ao conhecimento da imprensa. No local do acidente populações ribeirinhas costumam pescar para garantir a sobrevivência diária e também vender o produto em Belém. De acordo com informações da Capitania dos Portos em Belém, o naufrágio ocorreu no momento em que a balsa Comandante Elíseo Leão, que estava com avarias na máquina, recebia 45 mil litros de combustível de outra embarcação. A Capitania abriu inquérito para investigar as causas do acidente e quer saber se a balsa afundou por excesso de peso ou manobra errada. A Transportadora Patriarca, responsável pela balsa, tentou retirar a embarcação do fundo do rio, enquanto equipes do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil isolavam com barreiras de contenção o vazamento de óleo para impedir que ele se alastre pelos rios do Marajó.   O resgate da balsa está difícil devido à forte correnteza na área. A Petrobras, que é dona dos 45 mil litros de óleo transferidos para a balsa na ocasião do acidente, informou que um sobrevôo foi realizado para verificar a situação. A Marinha mandou para o local um navio rebocador de alto-mar para resgatar a balsa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.