Banco Mundial empresta ao Brasil US$8 bi para combater pobreza

O Brasil vai receber 8 bilhões de dólares em financiamento do Banco Mundial para impulsionar a sua campanha para erradicar a pobreza extrema em algumas das áreas mais pobres do país, informou o banco nesta terça-feira.

REUTERS

01 de novembro de 2011 | 21h49

Como parte da "Estratégia de Parceria" do Banco Mundial com o Brasil, o financiamento será destinado para a melhoria de serviços como a saúde, a educação e a proteção ambiental, bem como promover o desenvolvimento econômico no Nordeste, a região mais pobre do país.

A erradicação da extrema pobreza, definida como aqueles que têm renda inferior a 70 reais por mês, se tornou uma marca registrada da agenda da presidente Dilma Rousseff.

Os governos federal, estaduais e municipais vão receber até 5,8 bilhões de dólares em novos financiamentos do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) sob a forma de empréstimos subsidiados.

Um adicional de 2 bilhões de dólares em empréstimos virá do setor privado em 2012-13 através da Corporação Financeira Internacional.

Durante os oito anos de mandato do antecessor de Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Brasil ultrapassou todos os principais mercados emergentes na melhoria de vida dos pobres, levando 40 milhões de pessoas para a classe média.

O programa "Brasil Sem Miséria", do governo brasileiro, planeja tirar mais de 16 milhões de pessoas da condição de "miséria" por meio de uma ajuda financeira maior, melhor educação, melhor acesso à água e à energia e treinamento profissional.

(Reportagem de Asher Levine)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALBMBRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.