Banco Mundial libera US$ 16 milhões para Amazônia

O Banco Mundial aprovou ontem uma doação de US$ 15,9 milhões do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF, na sigla em inglês) para o Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2012 | 03h02

Com a verba, a segunda fase do programa deve possibilitar a proteção de mais 13,5 milhões de hectares no bioma. O dinheiro também será usado para consolidar 32 milhões de hectares de áreas protegidas já existentes.

Durante sua primeira fase, o programa criou 24 milhões de hectares de áreas protegidas e consolidou 8,5 milhões. A estimativa do governo é que essa proteção ajudou a reduzir o desmatamento na região em 37%, entre 2004 e 2006.

Makhtar Diop, diretor do Banco Mundial para o Brasil, disse que a meta é atingir no futuro - sem dizer exatamente quando - um total de 100 milhões de hectares protegidos na Amazônia, "promovendo simultaneamente o crescimento econômico e serviços sociais através do uso sustentável de recursos", diz.

O GEF é uma agência internacional criada após a conferência Rio-92 para reunir verbas e fundos de concessão para promover benefícios ambientais em seis áreas foco - mudanças climáticas, diversidade biológica, águas internacionais, poluentes orgânicos persistentes e destruição da camada de ozônio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.