Bandeirante e CPFL Piratininga devem ter tarifa menor

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) propôs nesta terça-feira revisões tarifárias negativas para duas distribuidoras paulistas, a CPFL Piratininga, do grupo CPFL Energia, e a Bandeirante Energia, do Grupo EDP Energias do Brasil.

Reuters

10 de julho de 2012 | 11h14

No caso da CPFL Piratininga, a proposta é de redução média de 8,18 por cento, enquanto para a Bandeirante a sugestão é de diminuição média de 3,55 por cento.

Em ambos os casos, as propostas ficarão em audiência pública entre os dias 12 de julho e 17 de agosto. Os índices definitivos entram em vigor a partir de 23 de outubro.

As duas companhias estão passando pelo terceiro ciclo de revisão tarifária da Aneel, cujas regras mais rígidas reduzem a rentabilidade das distribuidoras.

A CPFL Piratininga abastece 1,4 milhão de consumidores em 27 municípios do interior e litoral de São Paulo, entre os quais Santos, Sorocaba e Jundiaí.

Já a Bandeirante leva energia a 1,4 milhão de consumidores em 28 municípios paulistas, principalmente nas regiões do Alto do Tietê e Vale do Paraíba.

(Por Leonardo Goy)

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAREVISAOBANDEIRANTECPFL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.