Bando tatuava lágrimas para indicar homicídios

Uma operação conjunta da Polícia Civil com a Brigada Militar prendeu nesta terça-feira 17 integrantes de uma quadrilha de traficantes que atuava em bairros da zona sul de Porto Alegre e em Eldorado do Sul, na região metropolitana da capital do Rio Grande do Sul. A investigação detectou que alguns integrantes do bando costumavam tatuar uma lágrima no rosto para cada assassinato que cometiam. As marcas eram usadas pela facção para intimidar os desafetos e a comunidade em geral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.