Barrichello acredita em recuperação da Williams na China

A Williams espera que novos componentes instalados no carro tirem a equipe da última posição no campeonato de Fórmula 1 no Grande Prêmio da China do fim de semana, após duas corridas para se apagar da memória da escuderia ex-campeã mundial.

ALAN BALDWIN, REUTERS

14 de abril de 2011 | 12h39

O brasileiro Rubens Barrichello e o venezuelano Pastor Maldonado não terminaram as duas corridas do ano, deixando a Williams atrás das novas equipes Virgin Racing e Team Lotus no Mundial de Construtores.

"Não é o início de ano dos sonhos que nós desejávamos ter", disse Barrichello em entrevista coletiva no circuito de Xangai. "Por um erro me coloquei fora da disputa na classificação da Austrália e a corrida estava indo bem até um problema. Na Malásia nós simplesmente não estávamos lá. O carro não era competitivo e não fomos bem."

"Tenho certeza que será muito melhor aqui. Temos novos componentes, temos novas peças e esperamos por um fim de semana muito melhor."

A Williams teve uma boa pré-temporada, com um carro totalmente novo em relação a 2009. No entanto, Maldonado durou apenas nove voltas no GP da Austrália que abriu a temporada com um problema no câmbio, enquanto Barrichello bateu em Nico Rosberg, da Mercedes, e abandonou.

Na Malásia no último fim de semana, Barrichello teve problemas hidráulicos e Maldonado também abandonou.

"Acho que poderíamos ter ficado nos 10 primeiros lugares na primeira corrida", disse o brasileiro. "Na segunda corrida estávamos em 15o e isso era o melhor que poderíamos fazer. Aqui eu não sei. Precisamos ver o desenvolvimento do carro. Sem nenhuma mudança acho que poderíamos ficar entre os 12. Com as mudanças, espero estar entre os seis."

Mais conteúdo sobre:
F1WILLIAMSBARRICHELLO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.