Bastidores: PSDB e comunicação pautam ‘recuo do recuo’

A pressão do PSDB e a estratégia de comunicação do governo pautaram a decisão de Michel Temer de “recuar do recuo” e manter o envio da reforma da Previdência ao Congresso antes das eleições. Temer bateu o martelo ao voltar da viagem à China, e a decisão foi consolidada em reunião entre o coordenador político do governo, Geddel Vieira Lima - que foi voto vencido na discussão, já que defendia abertamente que o projeto só fosse encaminhado após o pleito - e o presidente do PSDB, Aécio Neves.

Vera Magalhães, O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2016 | 05h00

Os responsáveis pela comunicação do governo alertaram Temer de que ele havia anunciado publicamente o compromisso de enviar a reforma antes da eleição, e que uma mudança em algo tão sensível quebraria uma expectativa importante do mercado. A decisão pegou de surpresa e contrariou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, um dos principais defensores de que o encaminhamento da reforma fosse postergado para não desagradar os deputados envolvidos nas campanhas eleitorais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.