Bate-boca no Senado foi 'abaixo da média', diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou nesta quarta-feira o bate-boca entre os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Tasso Jereissati (PSDB-CE) ocorrido esta semana.

REUTERS

12 Agosto 2009 | 13h02

Sem citar diretamente os nomes dos parlamentares, Lula classificou a discussão como "abaixo da média".

"Vamos ver os debates que estão acontecendo no nosso querido Senado. Uma instituição tão importante para a democracia deste país e recentemente o nível do debate está abaixo da média de compreensão da nossa sociedade", disse Lula durante cerimônia de 150 da Igreja Presbiteriana do Brasil.

O presidente também recomendou que os senadores fiquem mais atentos ao que dizem, uma vez que a transmissão pela TV é imediata. Sem mencionar que discursos deste tipo não deveriam ser televisionados, disse ainda que as TVs não têm contribuído para a formação do jovem brasileiro.

"São todas pessoas formadas, acima de 35 anos, e são pessoas que, em vez de prestarem atenção no que a TV está transmitindo, poderiam agir de forma mais civilizada. As pessoas se agridem de tal modo que mesmo aquele cidadão que gosta de política fica sem compreender o que está acontecendo", acrescentou.

A troca de ofensas entre Renan e Tasso ocorreu no plenário do Senado, fruto da crise que atinge instituição e seu presidente, José Sarney (PMDB-AP).

Renan, aliado de Sarney, chamou Tasso de "coronel" enquanto Tasso revidou classificando o colega de "cangaceiro de terceira categoria". Renan também teria dito um palavrão, fora do microfone, dirigido a Tasso, tucano cujo partido é o mais forte opositor a Sarney e que vem cobrando sua saída do cargo.

De seu lado, Lula vem apoiando a permanência no cargo de Sarney, seu aliado.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier; Edição de Carmen Munari)

Mais conteúdo sobre:
POLITICALULAPRESBITERIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.