BC reduz previsão de crescimento deste ano a 1,2%

O Banco Central reduziu suas previsões para o crescimento econômico e para a inflação brasileiros neste ano, mas ainda está mais otimista que o mercado, apontou o Relatório Trimestral de Inflação divulgado nesta segunda-feira.

REUTERS

30 de março de 2009 | 09h08

A estimativa para a alta do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano passou para 1,2 por cento, contra 3,2 por cento há três meses.

Segundo o BC, a revisão reflete "reduções generalizadas" na indústria, na agropecuária e no setor de serviços.

Em relação ao cenário internacional, a autoridade afirmou que as perspectivas "seguem indefinidas".

Para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o BC vê a taxa a 4 por cento, abaixo do centro da meta de 4,5 por cento. O cenário anterior apontava taxa de 4,7 por cento.

"Cabe destacar que o recuo da projeção de inflação ao longo de 2009 e de 2010 reflete, fundamentalmente, os efeitos da elevação da ociosidade dos fatores de produção observada no quarto trimestre de 2008, que se sobrepõe aos efeitos da redução da taxa básica de juros", afirmou o documento.

"As reduções projetadas para os preços no atacado de produtos industriais relevantes na cadeia produtiva e o esgotamento da influência de fatores sazonais deverão impactar favoravelmente a evolução dos preços ao consumidor", acrescentou.

Para 2010, a projeção é de inflação de 4 por cento, desacelerando a 3,9 por cento no primeiro trimestre de 2011.

Os números previstos pelo BC são melhores que os esperados pelo mercado, que, segundo o relatório Focus divulgado nesta manhã, vê estagnação econômica e inflação de 4,32 por cento neste ano.

(Reportagem de Vanessa Stelzer; Edição de Alexandre Caverni)

Mais conteúdo sobre:
BACENRELATORIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.