Beach Boys voltam com espírito da banda original

Pelo menos é o que promete Mike Love, parceiro de Brian Wilson nos maiores sucessos do grupo, que rivalizou com os Beatles e completa 50 anos em 2011

Jotabê Medeiros, O Estadao de S.Paulo

30 de novembro de 2009 | 00h00

O cantor e compositor Michael Edward "Mike" Love, de 68 anos, integrou uma das únicas bandas do planeta que rivalizaram com os Beatles em seu auge, nos anos 60: The Beach Boys. Mike formou o grupo no início de 1960 com seus primos Brian, Carl e Dennis Wilson, e um amigo deles, Al Jardine.

É quase consenso universal que Brian Wilson era a mente mais intensamente criativa dos Beach Boys, mas a voz de Mike Love está em diversos clássicos do grupo, como Surfin" Safari, Surfin" USA, Fun, Fun, Fun e California Girls. Em 2004, Brian decidiu concluir um álbum que tinha deixado inconcluso nos anos 60, Smile, e Mike foi à Justiça contra o primo. Ainda assim, diz que não são inimigos. Mike excursiona com um grupo que chama de Beach Boys, que toca pela primeira vez no País esta semana, quase 50 anos depois de começaram sua carreira.

É sua primeira vez no Brasil?

Como músico, sim. Mas já estive como turista duas vezes. Estive no Rio em 1992. Adorei, seu país é muito bonito, diversificado, com uma das músicas mais interessantes do mundo. Não sei se você sabe, mas gravei uma versão de Garota de Ipanema num dos meus discos. Tom Jobim era fantástico.

O sr. vê semelhança entre a música dos Beach Boys e a bossa nova?

Bom, ambas são músicas muito relaxantes e românticas. Acho que nesse sentido são similares. Há algumas canções dos Beach Boys, como Kokomo, que têm uma conexão maior com a bossa.

O sr. poderia dizer que essa banda que traz ao Brasil, sem Brian Wilson, pode ser considerada de verdade como The Beach Boys?

Bom, Brian parou de excursionar conosco em 1964. Entrou Bruce Johnston no lugar dele. Recentemente, ele passou a fazer shows com a própria banda. É fato que ele é muito importante para a história do grupo, é um dos compositores mais dotados da história da música, especialmente nas harmonias. Mas fiz muitas das letras do grupo, como Good Vibrations e California Girls e se tornaram, a maioria delas, grandes hits.

O fã que for ao concerto verá o verdadeiro espírito dos Beach Boys ou só uma banda-tributo?

Esta banda toca com a intensidade dos Beach Boys. Eu era o cantor em grande parte daquelas canções, portanto, não é uma banda-tributo. Claro, meus primos morreram e isso é triste. Meu filho tem voz que soa similar à de Carl. Meus músicos tocam do jeito que tocavam os Beach Boys originais. Em 2011, vamos comemorar 50 anos dos Beach Boys com nova excursão internacional. Eu me sinto feliz por estar levando adiante o legado dessa importante banda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.