Beatificação de Pio 12 não parou, diz Vaticano

O responsável pelosprocessos de beatificação no Vaticano disse na segunda-feiraque está levando adiante o caso relativo ao papa Pio 12, a quemdefendeu das acusações de ter silenciado diante do Holocausto. Alguns críticos acusam o pontificado de Pio 12 (1939-58) deter sido indiferente ao Holocausto e de não ter se manifestadocontra Hitler. Seus defensores o consideram um homem santo, quetrabalhou nos bastidores para salvar judeus em toda a Europa. O cardeal José Saraiva Martins negou que o processo debeatificação tenha sido suspenso devido à polêmica, comosugeriu um jornal no ano passado. "Não foi abalado, muito menos paralisado", disse Martins,chefe do Departamento do Vaticano que supervisiona o processode beatificação. Ele não especulou sobre prazos, apenas disse que haverámais pesquisas sobre o papa por ocasião do quinquagésimoaniversário da sua morte. Em maio, o departamento de beatificações do Vaticano,chefiado pelo cardeal Martins, votou a favor de um decreto quereconhecia as "virtudes heróicas" de Pio 12, o que significa umgrande passo adiante no processo iniciado em 1967. Mas o papa Bento 16 ainda não aprovou o decreto, o quedeixa o processo na prática paralisado, impedindo que Pio 12passe a ser considerado um beato (última etapa antes dacanonização). Martins pediu que não se exagere nas interpretações dessefato. "Algumas pessoas falam em problemas que na realidade nãoexistem, eu acredito. Muitos dizem: 'Não está avançando porqueele é famoso por seu silêncio em condenar o nazismo, porque elenão condenou o nazismo'. Isso não é historicamente acurado. Emvez de silêncio, eu falaria em 'prudência'. Não houvesilêncio." O Vaticano afirma que Pio 12 não se manifestou de formamais incisiva porque temia represálias do regime nazista quepiorassem a situação de católicos e judeus. Simpatizantes dizem que Pio 12 determinou que igrejas econventos de Roma recebessem judeus depois da ocupação alemã nacidade, em 1943. Vários grupos judaicos, principalmente a LigaAnti-Difamação, dos EUA, costumam pedir ao Vaticano quesuspenda todo o processo de canonização até que termine osigilo sobre os arquivos da Igreja relativos à Segunda GuerraMundial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.