Beatificação é ''inoportuna'', dizem judeus

O Congresso Judeu Mundial (CJM) considerou "inoportuno e prematuro" o projeto do Vaticano de beatificar Pio XII, papa de 1939 a 1958 que é acusado de omissão durante a perseguição aos judeus na Segunda Guerra Mundial. No sábado, Bento XVI nomeou Pio XII e João Paulo II como "veneráveis", o que abre caminho para beatificação e possível canonização.

AFP e EFE, O Estadao de S.Paulo

22 Dezembro 2009 | 00h00

"Enquanto se mantenham fechados os arquivos do papa Pio XII datados do período crucial de 1939 a 1945 e não haja um consenso sobre sua ação - ou inação - ante a perseguição de milhões de judeus durante o Holocausto, uma beatificação é inoportuna e prematura", considera o presidente do CJM, Ronald Lauder, em um comunicado divulgado em Bruxelas, na Bélgica. Lauder também afirma que "embora seja de competência única da Igreja Católica decidir a quem se outorgam as honrarias religiosas", há "grande preocupação sobre o papel político do papa Pio XII durante a Segunda Guerra Mundial que não deveria ser ignorado".

Apesar das críticas por sua decisão, Bento XVI mantém a intenção de visitar, no dia 17 de janeiro, a Sinagoga de Roma. O Vaticano diz que não há motivo para cancelamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.