Bebê morre e pai admite espancamento no Paraná

Um bebê com seis meses de idade morreu na noite de ontem, no Paraná, provavelmente em razão de espancamento desferido pelo pai, de 21 anos. À polícia ele admitiu que bateu na criança, em razão de ela estar chorando bastante. Ele foi indiciado por homicídio e a Delegacia de Homicídios de Curitiba aguarda o laudo definitivo do Instituto Médico Legal (IML) para decidir se pede a prisão do pai. Depois de prestar depoimento ele foi liberado em razão de não haver flagrante.

EVANDRO FADEL, Agência Estado

18 de fevereiro de 2011 | 20h14

De acordo com a delegada titular de Homicídios, Maritza Haisi, o pai estava sozinho em casa com o bebê e outro filho, de dois anos de idade, enquanto a mãe trabalhava. "Ele alegou que sofre de distúrbio psicológico, tem crises de descontrole e está fazendo tratamento", disse a delegada. Quando o bebê começou a chorar, o pai teria tido uma "crise de ira". "Ele admitiu que deu socos e tapas", relatou Haisi. Como a criança chorava ainda mais forte, ele a teria colocado no berço e dado mamadeira.

No entanto, logo teria percebido que ela estava com a "barriga dura". Fez um chá, mas o bebê estava desfalecido. O pai teria chamado, então, a avó paterna das crianças que mora próximo. Imediatamente, ela correu com o bebê até o Corpo de Bombeiros, mas os policiais não conseguiram reanimá-la. Uma ambulância do serviço de emergência foi chamado, mas os médicos também não tiveram sucesso. Levada para o Hospital do Trabalhador, a criança chegou morta.

Tudo o que sabemos sobre:
Paranáespancamentocrimeviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.