Beija-Flor festeja campeonato com 'arremesso' de cerveja

Na quadra da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis, na Baixada Fluminense, campeã do carnaval de 2008, não havia espaço para celebridades. Uma multidão superlotou o lugar - com capacidade para 15 mil foliões, segundo a direção - e as ruas do entorno. Tinha muita mulher sambando e cerveja de graça, disputada por uma leva de jovens sem camisa, com os braços para o alto. O método de distribuição das 8 mil caixas, anunciadas pelo locutor logo depois do resultado do carnaval, era nada usual. Funcionários da escola de samba, em cima de um balcão nos fundos da quadra, arremessavam as latas cheias na direção do público.Às 18 horas, pouco após o início da festa, o locutor interrompeu o som da bateria: "Alô, pessoal do bar, evita jogar cerveja para o alto porque cortou a testa de um amigo. Vamos brincar na paz. Tem para todo mundo." Não adiantou. O arremesso da bebida continuou. Perto do palco, um garoto suado dançava feliz com oito latas enroladas dentro da camisa, transformada em uma trouxa. Do lado de fora da quadra, a lata custava dois reais. Às 19 horas, chegou um caminhão com mais 2 mil unidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.