Beltrame reafirma que não citou operação a Turnowski

O secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, prestou depoimento nesta terça-feira como testemunha da investigação da Polícia Federal sobre a suspeita de vazamento de informações pelo delegado Allan Turnowski, ex-chefe da Polícia Civil do Estado. Beltrame reafirmou à PF que não havia passado informações a Turnowski sobre a realização da Operação Guilhotina, que determinou a prisão de 45 pessoas - incluindo 32 policiais civis e militares.

BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

22 de fevereiro de 2011 | 23h11

Turnowski foi indiciado na última quinta-feira sob suspeita de ter avisado o inspetor Christiano Fernandes sobre as investigações. O ex-chefe da Polícia Civil teria recomendado que Fernandes ficasse atento, pois a PF preparava uma operação. O inspetor era alvo dessa investigação e foi preso no dia 12.

Na semana passada, quando foi indiciado, Turnowski havia negado as acusações de vazamento de informações. A Polícia Federal acreditava que o então chefe de polícia teria sido informado sobre a operação por integrantes da Secretaria de Segurança. Turnowksi garantiu que desconhecia a investigação conduzida e disse que Beltrame poderia inocentá-lo da acusação se confirmasse que a informação não havia sido repassada a ele.

De acordo com a Secretaria de Segurança, Beltrame disse à PF que apenas entrou em contato com Turnowski para cobrar providências contra policiais civis que estavam extorquindo um traficante durante a ocupação do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, em novembro de 2010. O secretário não teria mencionado a Operação Guilhotina ou o nome de Fernandes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.