Berlusconi fecha acordo para eleição e quer ser ministro da Economia

O ex-premiê italiano Silvio Berlusconi disse nesta segunda-feira que chegou a um acordo com a Liga Norte para a disputa das eleições de fevereiro, e que gostaria de ser ministro da Economia em um futuro governo de centro-direita.

Reuters

07 de janeiro de 2013 | 08h18

Berlusconi disse a uma rádio italiana que fez um acordo com o líder da Liga, Roberto Maroni, que foi um parceiro de sua coalizão no governo anterior.

Segundo o acordo, o partido Povo da Liberdade (PDL), de Berlusconi, vai apoiar a candidatura de Maroni à Presidência da região da Lombardia, no norte do país, como parte de um entendimento mais amplo.

Ele não deu detalhes sobre o acordo, mas disse que seria o "líder dos moderados" em uma coalizão de centro-direita com a Liga.

A Liga apoia políticas rígidas para imigração e é a favor de dar mais poder e autonomia às 20 regiões da Itália.

Maroni realizará uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira.

Berlusconi, que deixou o governo em novembro de 2011 para dar lugar a um governo tecnocrata liderado por Mario Monti, disse que ainda não está certo quem seria o primeiro-ministro no governo de centro-direita.

"Nós decidiremos se vencermos", afirmou, acrescentando que preferia ser ministro da Economia e que mais provavelmente o secretário do PDL Angelino Alfano seria o primeiro-ministro.

O ex-premiê, que apoiou o governo de Monti até o mês passado, atacou o atual governante por reintroduzir um imposto bastante impopular sobre propriedades em residências primárias e prometeu reduzir os impostos sobre rendimentos.

(Reportagem de Philip Pullella)

Mais conteúdo sobre:
ITALIABERLUSCONIACORDOELEICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.