Berlusconi lidera eleições na Itália, segundo projeções

Projeções feitas com base em resultadosiniciais da votação italiana davam ao empresário SilvioBerlusconi, na segunda-feira, a liderança nas eleiçõesparlamentares. Uma projeção feita pela tevê estatal RAI dava ao bloco deBerlusconi 44,9 por cento dos votos no Senado, contra 38,2 porcento para o líder de centro-esquerda Walter Veltroni, umamargem mais ampla do que a indicada por pesquisas deboca-de-urna. As pesquisas italianas de boca-de-urna nem sempre sãoconfiáveis. Em uma delas, realizada para a Sky TV depois dofechamento das urnas, O político conservador obtinha umavantagem de 2 pontos percentuais sobre seu rival Veltroni, naCâmara Baixa do Parlamento e de 3 pontos percentuais no Senado. Em uma outra pesquisa realizada para a TV estatal do país,o empresário, 71, também aparecia à frente nas duas câmaras.Ambas as enquetes possuem uma margem de erro de 2 pontospercentuais. Segundo analistas de política, esses resultadossignificariam que Berlusconi, uma vez no poder, teria atrás desi um governo frágil ou mesmo um Parlamento dividido casoVeltroni, 52, conseguisse assumir o controle do Senado. Odireitista tenta tornar-se primeiro-ministro pela terceira vez. "No momento, estamos prevendo um Parlamento dividido, umamaioria incapaz de funcionar bem", afirmou o professor depolítica James Walston, da Universidade Americana em Roma. Berlusconi prometeu diminuir o déficit público da Itália,pôr em ordem o sistema fiscal e diminuir o controle do Estadosobre o altamente regulamentado setor de serviços. Mas muitositalianos temem que a instabilidade política impeça o próximogoverno de recuperar a economia, atualmente à beira darecessão. "Um governo desse tipo ficará impossibilitado de aprovar asreformas estruturais de que a Itália precisa, especialmentediante da atual situação desfavorável da economia mundial",afirmou Susana Garcia, do Deutsche Bank. O novo governo será o 62o da Itália desde a Segunda GuerraMundial e ficará encarregado de comandar a quarta maioreconomia da União Européia (UE). O magnata das comunicações Berlusconi, premiê durante setemeses a contar de abril de 1994 e de 2001 a 2006, vinha sendoapontado como favorito para eleger uma bancada majoritária nacâmara baixa do Parlamento. A corrida pelo Senado sempre é maisapertada devido ao complexo sistema eleitoral. Romano Prodi, que venceu Berlusconi em 2006, anunciou suarenúncia no dia 20 de janeiro, abreviando seu mandato de cincoanos após sua maioria apertada ter virado pó, fazendo com quesua base de apoio entrasse em colapso. O sucessor de Prodi à frente do Partido Democrático,Veltroni, ex-prefeito de Roma, representou um duro desafio paraBerlusconi, que domina a mídia italiana por meio de suaempresa. De outro lado, alguns dos 47 milhões de eleitores empotencial do país reclamaram que havia poucas diferenças entreos programas de governo dos dois candidatos. Ambos prometeram reduzir o déficit público -- o terceiromaior do mundo em termos absolutos --, mas também cortar osimpostos, aumentar os gastos e incentivar o crescimento.

STE, REUTERS

14 de abril de 2008 | 12h50

Tudo o que sabemos sobre:
ITALIAELEICAOLIDERA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.