BID diz ter parado concessão de novos créditos a Honduras

O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, disse nesta quarta-feira que foi feita "uma pausa" na entrega de novos créditos a Honduras, por causa da destituição do presidente do país, Manuel Zelaya, no fim de semana.

REUTERS

01 Julho 2009 | 21h24

Depois da derrubada de Zelaya e da instalação de um governo interino em Honduras, a Organização dos Estados Americanos (OEA) deu um ultimato de 72 horas para que seja garantido o retorno do presidente ao país.

"Basicamente, o que fizemos foi uma pausa (nos novos créditos). A Assembleia Extraordinária da OEA deu um ultimato ao governo de Honduras para que tome a decisão de restabelecer a via democrática e, obviamente, vamos esperar que isto passe", disse Moreno a jornalistas em Santiago, no Chile.

A OEA se uniu à condenação mundial depois do golpe militar no país da América Central. Na véspera, o Banco Mundial informara ter deixado em suspenso todos os programas de empréstimos a Honduras.

"Nesse meio tempo nós não teremos atividade em Honduras, não temos desembolsos a fazer e, claro, não vamos levar créditos à aprovação de nossa direção até que não haja clareza sobre os as questões em Honduras", garantiu Moreno depois de reunir-se com a presidente chilena, Michelle Bachelet.

(Reportagem de Manuel Farías)

Mais conteúdo sobre:
HONDURAS BID SUSPENSAO CREDITOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.