Bijupirá: tem início a criação

Tanques-redes, instalados em alto-mar no litoral de Recife, devem produzir 10 mil toneladas anuais

Ângela Lacerda, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2008 | 02h55

O primeiro projeto aprovado para criação de pescado em alto-mar começará a funcionar em outubro, em Pernambuco. A Aqualider, empresa responsável pelo projeto, vai criar o bijupirá (Rachycentron canadum), em alto-mar, a 11 quilômetros da praia recifense de Boa Viagem. O projeto deve produzir 10 mil toneladas anuais do pescado em 48 tanques-redes, num período de três anos, quando serão investidos R$ 10 milhões. O faturamento previsto a partir de 2011, quando o projeto estiver concluído, é de R$ 80 milhões.O contrato foi assinado entre a empresa e a União no dia 14, com base na Lei 4.895/2003, de cessão de águas públicas para aqüicultura. A área cedida é de 169 hectares, por 20 anos, a R$ 60 mil por ano, como informou o gerente do projeto, Santiago Hamilton. O projeto em si utilizará apenas 2,3 hectares. O amplo espaço total é exigido para evitar problemas de navegação. Produzidos em laboratório da empresa em Ipojuca (PE), a empresa já dispõe de 45 mil alevinos de bijupirá, que irão se desenvolver nos três primeiros tanques a serem instalados no primeiro ano - 15 mil em cada um. Em dez meses, os peixes atingem 5 quilos. A escolha do bijupirá se deveu ao seu rápido crescimento, ao domínio da tecnologia de criação e à qualidade da sua carne: branca, filé alto e muito usado na culinária japonesa. O preço do quilo do peixe, pouco encontrado nos supermercados brasileiros, é em torno de R$ 15. A estimativa é a de que o preço de custo fique em torno de R$ 8. Os tanques-redes, de 25 metros de diâmetro, terão profundidade de 30 metros, provocando pouco impacto visual, pois apenas 1 metro fica acima do nível do mar.

Tudo o que sabemos sobre:
bijupirá

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.