Bill Gates diz adeus à chefia executiva da Microsoft

Hoje é o último dia do fundador da gigante de softwares, que vai se dedicar à sua fundação de caridade

Peter Bowes, BBC

27 Junho 2008 | 07h33

O fundador da gigante de softwares Microsoft, Bill Gates, deixa suas funções de presidente executivo da empresa nesta sexta-feira, 27, para se dedicar integralmente à fundação que criou com a mulher, Melinda. Gates continuará sendo o presidente do Conselho administrativo da empresa que criou há 33 anos, mas concentrará seus esforços na Fundação Bill e Melinda, dedicada a pesquisas na área de vacinação e ao financiamento de projetos em países em desenvolvimento. O americano fez sua fortuna ao desenvolver softwares para computadores pessoais que hoje são usados em todo o mundo. Aos 13 anos ele programou seu primeiro computador e durante os anos que passou na Universidade de Harvard aprimorou suas habilidades. Ao deixar a universidade, mudou-se para cidade de Albuquerque, no Estado americano do Novo México, onde fundou a Microsoft, em 1975, junto com o amigo de infância Paul Allen. Jogada A grande jogada da empresa veio em 1980 quando a Microsoft fechou um acordo com a IBM para construir um sistema operacional que mais tarde veio a ser conhecido como o MS-DOS. A Microsoft ficou conhecida do público em 1986 e em apenas um ano, Bill Gates, aos 31, se transformou na pessoa mais jovem a se tornar bilionária. Em uma entrevista concedida à BBC na semana passada, ele disse que o sucesso da empresa se atribui mais aos "erros de seus competidores, que eram muito mal administrados".  "Eles não entenderam como unir pessoas com experiências em negócios e em engenharia. Eles também não sabiam como se deslocar pelo mundo", disse ele. Aos 52 anos, Gates ainda guarda ares e aparência de garoto, mas já não é o homem mais rico do mundo. Ele foi ultrapassado pelo investidor Warren Buffett e o magnata das telecomunicações mexicano Carlos Slim.   BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
entrevista bill gates microsoft bbc

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.