Biografia de ex-mulher diz que Sarkozy 'não ama nem os filhos'

Na obra, ex-primeira-dama afirma que presidente francês é 'mesquinho e pão-duro'.

BBC Brasil, BBC

11 de janeiro de 2008 | 09h50

Um tribunal de Paris rejeitou nesta sexta-feira o pedido da ex-primeira-dama francesa Cécilia Sarkozy para impedir a venda de um livro em que ela faz críticas diretas ao ex-marido e presidente francês Nicolas Sarkozy.No livro, cujos trechos foram publicados nesta quinta-feira pelo semanário Nouvel Observateur, a ex-primeira-dama diz que Sarkozy, de quem se divorciou em outubro do ano passado, é "mesquinho e pão-duro", "um homem que não ama ninguém, nem mesmo seus filhos".Uma das advogadas da ex-primeira-dama, Michèle Cahen, disse que apelará da decisão ainda nesta tarde. Cécilia havia entrado com uma ação na justiça alegando que a publicação do livro, que chegou às livrarias na quinta-feira, "atentava gravemente contra sua vida privada".TraiçãoA obra Cécilia, da editora Flammarion, foi escrita pela jornalista Anna Bitton, da revista Le Point, com quem a ex-primeira-dama "tinha uma relação de amizade longe do jornalismo", segundo o jornal francês Libération."Nicolas não faz a imagem de presidente da República, ele tem problemas reais de comportamento", diz Cécilia no livro.Em outra passagem, ela faz comentários sobre o círculo político do ex-marido, segundo ela: "homens cheios de poder que se acham os príncipes de Paris".Sobre política, ela diz que tudo não se passa de "uma peça de decoração do Ocidente por trás da qual não há nada".Segundo seus advogados, a ex-primeira-dama se sentiu "traída" pela jornalista, que agora é sua "ex-amiga".Mais livrosEsta é a segunda vez que a ex-primeira-dama tentou proibir a publicação de livros sobre sua vida.Em 2006, a jornalista Valérie Domain, da revista Gala, teve de publicar uma versão romanceada da biografia não-autorizada Entre le coeur et la raison (Entre o coração e a razão, em tradução literal), pela editora Fayard.A obra havia sido proibida em novembro do ano anterior depois que Sarkozy, então ministro do Interior, teria pressionado o diretor da editora First, segundo informações do semanário Le Canard Enchaîné.Outros dois livros sobre a ex-primeira-dama também chegarão em breve às livrarias.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
françasarkozycecilialivrocríticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.