Birmingham adota detector de mentiras contra fraudes

Tecnologia será implementada nas próximas semanas.

BBC Brasil, BBC

11 de setembro de 2007 | 06h40

A cidade de Birmingham, a segunda maior da Inglaterra, vai usar detectores de mentiras para evitar fraudes no sistema de distribuição de benefícios sociais.A tecnologia será adotada dentro de poucas semanas, em ligações telefônicas, seguindo um esquema piloto proposto pelo Ministério do Trabalho.O detector de mentiras registra mudanças no tom de voz dos beneficiários quando eles ligam para a prefeitura para solicitar benefícios sociais, como ajuda para moradia e seguro desemprego.Essas "mudanças" são então comparadas a uma amostra da voz "normal" do beneficiário, gravada no início da conversa, para evitar que timidez ou outras questões emocionais afetem a avaliação.Se o detector avaliar que a pessoa é de "alto risco", o funcionário da prefeitura deverá pedir mais informações para corroborar o pedido de benefício.A tecnologia já é adotada para combater fraudes na indústria do seguro, e vem sendo testada pela região administrativa de Harrow, no noroeste de Londres, desde abril.Segundo a administração de Harrow, 126 fraudadores foram descobertos pelo sistema até agora, e a expectativa é que sejam recuperadas 40 mil libras (cerca de R$ 160 mil).Segundo Darragh McElroy, assessor de imprensa do Ministério do Trabalho, o detector de mentira não será a única ferramente para determinar se um beneficiário está fraudando o sistema."Também são verificados os detalhes bancários da pessoa, se há mudanças constantes, o endereço fornecido, todo o histórico do pedido de benefícios."O beneficiário será informado no início da ligação que ela está sendo gravada, e que será usada tecnologia para detectar fraudes.Segundo o jornal britânico Financial Times, a central sindical britânica TUC criticou o programa afirmando que "o problema com este tipo de tecnologia é que muitas vezes ela não funciona".A organização afirma que pessoas que tenham direito a pedir benefícios podem se sentir desencorajadas pela tecnologia, que pode identificar inocentes como fraudadores.O Ministério do Trabalho afirma que o objetivo é diminuir o número de fraudes no sistema de benefícios. Entre os anos de 2005 e 2006, o governo britânico perdeu cerca de 700 milhões de libras (cerca de R$ 2,8 bilhões) em fraudes de benefícios. No mesmo período, mais de 52 mil pessoas foram processadas e penalizadas por conta de fraudes.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.