BitTorrent lança serviço de download de filmes

O grupo de internet BitTorrent, no passado visto como inimigo por Hollywood, tornou-se no domingo parte do crescente elenco de fornecedores de downloads pagos de filmes e programas de televisão, colocando à venda conteúdo oferecido por diversos estúdios. A BitTorrent Entertainment Network, parte do BitTorrent, oferecerá filmes e programas de TV da 20th Century Fox News Corp., Warner Bros. Home Entertainment, Lionsgate Entertainment, Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), Paramount Pictures e MTV Networks. A BitTorrent se unirá à Amazon.com, à Apple e à Wal-Mart Stores, que já lançaram ou estão testando serviços de download. Outras empresas já operando nesse ramo são a CinemaNow e a Movielink. Mas Ashwin Navin, presidente e co-fundador da BitTorrent, disse à agência de notícias Reuters que seu site se diferenciará ao ir além da oferta de apenas filmes e programas de TV, e fornecerá também downloads de vídeo, música e jogos. O mais importante é que a BitTorrent Entertainment Network (ou BEN) planeja oferecer ferramentas para formação de comunidades, de modo que os usuários possam postar seus filmes e vídeos para download por outros usuários. Para produtores independentes de cinema, que não dispõem de redes de distribuição, o site pode ser uma forma de permitir que seus filmes obtenham exposição. "A última coisa que poderíamos fazer seria lançar mais um site estéril de varejo", disse Navin. Ele classificou as ferramentas de criação de comunidades de seu site como "nosso coração e alma". O software da BitTorrent vem sendo usado há anos pelos internautas para assimilar cópias ilegais de filmes e outras formas de conteúdo em seus computadores. Como resultado, a BitTorrent era alvo de desdém e rejeição pelos grandes estúdios de Hollywood, que acreditavam que ela facilitasse a pirataria online. Mas em novembro de 2005, a BitTorrent fechou acordo com a Motion Picture Association of America, que representa os grandes estúdios para assuntos governamentais, com o objetivo de ajudar a deter as cópias ilegais, se comprometendo a remover de seu site os links para cópias piratas de conteúdo.

Agencia Estado,

26 Fevereiro 2007 | 12h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.