Blatter critica mídia após violência na Copa das Nações Africanas

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, e o chefe da Confederação Africana, Issa Hayatou, acusaram a mídia ocidental de dramatizar a violência entre as torcidas que afetou a semifinal da Copa Africana de Nações entre Gana e Guiné Equatorial.

REUTERS

07 Fevereiro 2015 | 11h56

Objetos foram atirados em jogadores e torcedores, um helicóptero da polícia foi chamado para dispersar os fãs no estádio e o conflito continuou no lado de fora depois que a partida foi atrasada por mais de meia hora antes de Gana vencê-la por 3 a 0.

"Boa notícia não é notícia, má notícia é notícia", disse Blatter neste sábado na assinatura do Memorando de Compreensão entre a Fifa e a Confederação Africana de Futebol (CAF).

"Só falamos sobre o que é ruim. Futebol - que é uma coisa tão boa -, deixe-o viver, deixe-o em paz. É bem organizado. Deixem-nos fazer isso".

"Eu não vejo o lado negativo do futebol africano que a mídia apresenta", acrescentou Blatter. "É normal, nós criticamos o que é bom, nunca o que é ruim. O papel infeliz da mídia é assumir as coisas e transmiti-las".

(Por Ed Dove)

Mais conteúdo sobre:
ESPORTES FIFA COPAAFRICANA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.