Blog registra emagrecimento

Por iniciativa própria, historiadora associou dieta e exercícios e perdeu 61 quilos em 1 ano e 4 meses

, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2011 | 00h00

Foi na sala de espera de um consultório médico que a historiadora Gabriela Castellá, de 29 anos, decidiu mudar de vida. O ano era 2008 e, naquela época, ela pesava 121 quilos - quase o dobro do peso normal para a sua altura. Com determinação e força de vontade, sem ajuda de medicamentos, ela perdeu 61 quilos. E está magra até hoje.

Gabriela conta que aguardava a mãe sair de uma consulta quando se lembrou de uma amiga que havia ficado paralítica depois de levar dois tiros. Pensou: "Estou com quase 30 anos, gorda, sem namorado. Minha amiga não sonhou estar em uma cadeira de rodas, não podia mudar o futuro dela. Mas eu podia mudar o meu. Estar gorda era opção minha. E naquele dia resolvi mudar."

Obesa mórbida aos 27 anos, Gabriela conta que sempre esteve acima do peso e tentou emagrecer com todos os tipos de dieta e remédios. Apesar dos esforços, o efeito sanfona (engorda e emagrece) era praticamente regra em sua vida. "Fiz dieta da Lua, da sopa, fiquei sem comer, tomei todos os tipos de remédio que existem, mas nada deu certo. Emagrecia alguns quilos e, quando ficava sem remédio, voltava a engordar."

Gabriela atingiu o auge da obesidade quando entrou na faculdade, em 2003. Ganhou mais de 30 quilos, passou a usar manequim 56 e se trancou em seu próprio mundo: não cortava o cabelo, só usava saias compridas e organizava as baladas sozinha, em seu quarto. Ficou dias sem tomar banho, usando a mesma roupa.

"Fiquei quatro anos sem beijar na boca e sem colocar os pés para fora de casa. Tinha medo de sair na rua e ficar entalada na catraca do ônibus. Isso já tinha acontecido antes e foi muito constrangedor."

Em compensação, era a melhor aluna da sala. "Tinha de me destacar de alguma maneira, então me afundei nos estudos. Passava a madrugada comendo e estudando", conta. Na festa de formatura, Gabriela conta que usou uma calça legging debaixo do vestido. "Era para não ficar assada."

A reviravolta. Quando a faculdade terminou, Gabriela diz que "deu uma surtada" - eram os estudos que mantinham sua cabeça ocupada.

Foi nessa época que veio o estalo de mudar de vida. Se debruçou no computador e fez da internet sua aliada. Pesquisou tudo sobre reeducação alimentar e traçou um plano de emagrecimento, de maneira a não passar fome. Criou um blog (emagrecendoeusei.blogspot.com) no qual registrou cada conquista. Associou dieta com exercícios físicos. Tudo sozinha.

Quinze dias depois do início do regime, Gabriela tinha perdido 7 quilos - não dava para perceber o resultado só de olhar, mas ela chorou. Em um mês, perdeu 10. Em quatro meses, 30 quilos. Em um ano e quatro meses, ela atingiu a meta e perdeu 61 quilos.

E Gabriela não parou por aí. Magra, arrumou um namorado, com quem está até hoje. Fez cirurgia plástica para reduzir o tamanho dos seios e para tirar os quase três quilos de pele em excesso na barriga. "Não há exercício físico que faça essa pele com estria voltar ao lugar."

Desde que emagreceu, ela ganhou uns quilinhos a mais, mas consegue controlar com alimentação saudável. "Estou completamente feliz."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.