BNDES libera R$ 28,9 mi para empresa de biotecnologia

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) dará apoio financeiro de R$ 28,9 milhões à Recepta Biopharma S.A. O aporte será feito pela BNDESPar, braço de participações acionárias do banco de fomento. A empresa atua em biotecnologia aplicada à produção de fármacos para o tratamento do câncer e desenvolveu um remédio para câncer de ovário, atualmente em fase de testes.

EQUIPE AE, Agência Estado

25 de julho de 2012 | 18h30

Outros sócios da Recepta são o pesquisador e fundador José Fernando Perez; José Barbosa Mello, vice-presidente da empresa; e os empresários Emílio Alves Odebrecht e Jovelino de Carvalho Mineiro, ambos investidores-anjos. Os novos recursos serão utilizados na implementação do plano de negócios da empresa. A Recepta foi fundada em 2006 a partir de uma parceira de investidores e pesquisadores brasileiros com o Instituto Ludwig de Pesquisas sobre o Câncer.

Segundo o BNDES, a Recepta conta atualmente com 36 empregados e seu plano de negócios projeta um quadro de 53 profissionais no médio prazo. A empresa estabeleceu parcerias com universidades e instituições de pesquisa, como o Instituto Butantan, o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) e a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), além de instituições estrangeiras como a Sloan School of Management, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), e a Universidade de Gothenburg, na Suécia.

Tudo o que sabemos sobre:
saúderemédiocâncerfinanciamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.