BNDES muda regras para credenciar geradores eólicos financiáveis

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) alterou as regras para que fabricantes de aerogeradores eólicos possam credenciar seus equipamentos como financiáveis pelo banco, ao estabelecer o aumento gradativo do conteúdo local dos aerogeradores.

Reuters

12 Dezembro 2012 | 19h46

O BNDES trabalhava com um índice mínimo de nacionalização de equipamentos de 60 por cento. Agora, estabelecerá um cronograma para aumentar gradativamente o conteúdo local dos aerogeradores, estabelecendo etapas a serem cumpridas.

As regras valem para todos os novos credenciamentos de aerogeradores e os modelos de aerogeradores atualmente credenciados pela regra antiga só poderão ser financiados pelo BNDES se equiparem parques eólicos vencedores dos leilões de energia já promovidos em 2009, 2010 e 2011, exceto A-5.

"Mediante solicitação do fabricante, qualquer aerogerador atualmente credenciado poderá ser também recredenciado com base na nova metodologia", informa o BNDES em seu website.

O banco de fomento chegou a descredenciar empresas fornecedoras de equipamentos para usinas eólicas da lista das habilitadas ao financimento do banco neste ano, depois que uma avaliação mostrou que nem todas cumpriam a exigência de nacionalização mínimo de 60 por cento.

(Por Anna Flávia Rochas)

Mais conteúdo sobre:
ENERGIA BNDES EOLICAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.