BNDES poderá apoiar 4ª etapa de despoluição do Tietê

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Luciano Coutinho afirmou que o banco de fomento está à disposição para "discutir o apoio" à última fase da despoluição do Rio Tietê, em São Paulo. Ele ressaltou que isso ocorreria dentro das prioridades do governo federal. "É uma honra para nós apoiarmos o projeto de despoluição do Rio Tietê. Estamos abertos a discutir o apoio à quarta etapa", afirmou. De acordo com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), a quarta etapa deve começar neste ano e tem previsão de ser concluída em 2020.

RICARDO LEOPOLDO, Agência Estado

15 de março de 2013 | 17h13

O objetivo é levar para 100% o nível de coleta de esgoto e de tratamento de dejetos, que estão em 84% e 70%, respectivamente. A estimativa da Sabesp é que essa fase custe aos cofres públicos cerca de R$ 3,8 bilhões. Na segunda-feira, a companhia informou que receberá R$ 1,35 bilhão do BNDES para o projeto de despoluição do rio.

A declaração de Coutinho foi feita nesta sexta-feira, no Palácio dos Bandeirantes, durante cerimônia para assinatura de financiamento de R$ 1,35 bilhão do banco para o Projeto Tietê.

Tudo o que sabemos sobre:
TIETÊBNDESCoutinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.