Boate Kiss estava com alvará vencido, afirma delegado

O delegado Sandro Meinerz, um dos responsáveis pela investigação do incêndio ocorrido na boate Kiss, em Santa Maria (RS), no qual 233 pessoas morreram, afirmou há pouco que o alvará de funcionamento do estabelecimento estava vencido na ocasião do incêndio.

TÁSSIA KASTNER, Agência Estado

27 de janeiro de 2013 | 19h41

"A informação preliminar é que o estabelecimento funcionava com alvará vencido em processo de renovação, mas ainda não renovado", afirmou o delegado à Agência Estado. "Por que não renovou?", questionou.

Meinerz disse ainda que a Polícia Civil irá investigar quando foi realizada a última vistoria do estabelecimento e verificar se houve alguma mudança na estrutura do local a partir de então. Além disso, a investigação pretende avaliar se o local estava adequado às normas de segurança e se de fato comportava o número de pessoas que estavam lá.

O delegado afirmou ainda que a Polícia irá investigar o suposto bloqueio das saídas da boate por seguranças e a existência de apenas uma saída de emergência. "Apenas uma saída de emergência?", questionou.

Tudo o que sabemos sobre:
incêndioRSSanta Mariaboate

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.