Bolos que acabam rapidinho

A Tânia de Ouro Branco é morena, adora tons vibrantes e sempre carrega um sapatinho na bolsa, que é para "manter os pés no mundo". Levou ao festival seu bolo de mexerica. Premiado no ano passado, não deu nem para o cheiro. A Tânia de Ouro Preto é clarinha, tem cachos dourados. Seu bolo de carambola vendeu feito água em dia escaldante. Fotos: Giovanna Tucci/AE A MORENO - Bolo de mexerica foi premiado. A LOURA - Cachinhos e bolo de carambola Veja também: Dicionário da quitanda Fornada mineira 'Quitandas' para a prateleira Elas são boas de farinha e fubá: Maria do Carmo Santos Costa: 'Cubu é forte e sustenta' Florips Oliveira Flores Pinto: Minifábrica no sítio Quitutes: Receita de cubu Receita de bolo de mandioca Habitante de um povoado com 250 pessoas, Tânia Maria Moreira (31-8894-1538), de Ouro Branco, vende suas quitandas em uma moto. "Coloco os bolos no reboque e faço as entregas". Tânia Kelly Martins (31- 8748-0704) fez sua estreia no festival com o muffin amineirado. "Adaptei o bolinho americano, com goiabada e geleia de carambola", diz. As Tânias de Ouro têm mais em comum: vieram ao festival sozinhas, suas barracas eram quase vizinhas. E elas não se conhecem.

Giovanna Tucci,

21 Maio 2009 | 08h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.