Bomba em escola na Itália mata garota e fere outras seis

Uma bomba explodiu neste sábado em frente a uma escola no sul da Itália, matando uma garota de 16 anos e ferindo pelo menos outras seis pessoas, duas com gravidade, disseram autoridades.

BY STEVE SCHERER, REUTERS

19 Maio 2012 | 10h53

A explosão, ocorrida perto da entrada de uma escola feminina que leva o nome da mulher do juiz antimáfia assassinado Giovanni Falcone, aconteceu enquanto as alunas se preparavam para entrar no colégio no início das aulas, que ocorrem também aos sábados na Itália.

Autoridades afirmaram que duas latas com gás aparentemente foram colocadas em contêineres de lixo na escola. A imprensa local afirmou que o colégio fica próximo ao principal tribunal de Brindisi, uma cidade portuária localizada na Apúlia, no "calcanhar" da Itália.

"Isso é uma tragédia", afirmou Mimmo Consales, prefeito de Brindisi, à rede de televisão Sky TG24. Ele disse que duas das feridas estão em condição "desesperadora", enquanto quatro estão feridas com menor gravidade.

Um médico disse à televisão local Telenorba que uma das garotas está sendo submetida a uma complexa cirurgia.

Ninguém reivindicou a responsabilidade pelo ataque e não há indícios de quem colocou as bombas, mas as suspeitas iniciais apontam para a máfia.

Consales afirmou que o incidente ocorreu alguns dias antes do 20º aniversário da morte de Falcone e sua mulher, Francesca Morvillo, com uma bomba na Sicília, em 23 de maio de 1992. Uma marcha contra os mafiosos está sendo planejada para o fim do dia.

"Você pode entender o simbolismo disso e o que isso tudo significa", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
ITALIA BOMBA ESCOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.