Bombardeios do Exército sírio e tiroteios matam 34 em Hama

Ataque também atingiu crianças; mais de 9 mil pessoas já morreram na repressão do governo sírio

REUTERS

20 Maio 2012 | 17h17

Bombardeios do Exército sírio e tiroteios mataram 34 pessoas neste domingo, incluindo crianças, na cidade de Souran, situada na província central de Hama, segundo o grupo Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

"O Exército bombardeou a cidade e depois a invadiu", disse à Reuters o diretor do Observatório, Rami Abdelrahman, citando moradores como fonte.

Hama tem sido ponto central no levante de 14 meses contra o presidente sírio, Bahsar al-Assad. Imagens de vídeo postadas na Internet mostram homens mortos enrolados em tapetes enquanto pessoas ao redor choram.

Numa delas aparecem buldôzeres, que os ativistas dizem estar sendo usados para cavar valas comuns.

Dezenas de homens estavam ao lado das vítimas, preparando os corpos para o enterro, dizia a voz de uma pessoa que não aparecia nas cenas.

O governo de Assad sempre limitou o acesso da mídia estrangeira ao país, mas desde o início do levante, em março de 2011, as autoridades endureceram as restrições, o que dificulta a verificação dos relatos.

Mais de 9 mil pessoas morreram na repressão do governo, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU). O governo sírio diz que 2.600 policiais e integrantes das forças de segurança foram mortos por grupos armadas. (Reportagem de Oliver Holmes)

Mais conteúdo sobre:
SIRIABOMBARDEIOHAMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.