Bombas e morteiros matam 14 pessoas em Bagdá

Morteiros, carros-bomba e armas de fogo mataram pelo menos 14 pessoas e feriram 55 em Bagdá, neste sábado, segundo a polícia e médicos.

Reuters

18 de janeiro de 2014 | 17h32

Depois de um dia relativamente calmo, uma série de explosões chocou a capital iraquiana durante a tarde, com indivíduos não-identificados armando ao menos quatro carros-bomba e atirando vários morteiros.

Homens armados também atacaram uma prisão juvenil, mataram um guarda, feriram quatro e soltaram 20 presos, disse a polícia.

Em Baquba, 65 quilômetros ao nordeste de Bagdá, homens armados feriram gravemente um correspondente da emissora de televisão oposicionista Sharqiya TV. Não há informações sobre os motivos do ataque.

Helicópteros sobrevoaram algumas áreas de Bagdá após as explosões. Sirenes de ambulância foram ouvidas e forças de segurança fecharam algumas estradas.

Dois anos depois de tropas americanas deixarem o Iraque, a violência voltou ao seu nível mais alto desde o confronto entre xiitas e sunitas em 2006 e 2007, quando dezenas de milhares de pessoas foram mortas.

As Nações Unidas disseram que cerca de 9 mil pessoas morreram violentamente no Iraque ano passado, apenas 1.050 não eram civis.

A tensão está alta este ano desde que militantes da Al Qaeda e outros insurgentes sunitas assumiram a cidade de Falluja, a oeste de Bagdá, no primeiro dia do ano, em meio a queixas da minoria sunita sobre o governo xiita.

(Reportagem de Raheem Salman)

Mais conteúdo sobre:
MUNDOBAGDAEXPLOSOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.