Bombeiros presos no Rio são soltos e pedem anistia

Foram soltos nesta manhã os cerca de 430 bombeiros presos em uma manifestação por melhores salários que terminou com a invasão do quartel central da corporação, há uma semana, no Rio de Janeiro. Em Niterói, os bombeiros foram recebidos com festa por parentes e colegas. Em clima de alívio, eles seguiriam para uma concentração em frente à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).

BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

11 Junho 2011 | 11h07

Com faixas, os bombeiros pedem anistia administrativa e criminal, o que evitaria que eles sofressem sanções e fossem processados pela ocupação do quartel. O grupo estava preso na unidade de Jurujuba. Por volta das 10h30, os bombeiros seguiam de ônibus até a estação das barcas de Niterói, de onde tomariam as embarcações que ligam a cidade ao centro da capital fluminense.

Moradores da região de Charitas, onde fica o quartel de Jurujuba, manifestaram apoio ao movimento, seguindo com carros e faixas vermelhas os ônibus que transportavam os bombeiros.

Mais conteúdo sobre:
bombeirosgrevelibertaçãoRio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.