Bombeiros retomam buscas no Rio Piracicaba

Duas pessoas permanecem desaparecidas após acidente em obra viária que deixou três mortos e cinco feridos

RICARDO BRANDT, Agência Estado

02 de julho de 2013 | 14h57

O Corpo de Bombeiros retomou as buscas na manhã desta terça-feira, 2, no Rio Piracicaba, onde três pessoas morreram, duas permanecem desaparecidas e cinco ficaram feridas, após um acidente na construção de uma ponte do anel viário de Piracicaba, na segunda-feira, 1.

Uma coluna central de sustentação tombou derrubando dentro do Rio Piracicaba as vigas da obra, onde estavam os funcionários. Mergulhadores fazem busca na água, mas a correnteza e a falta de visibilidade dificultam os trabalhos. Outros homens buscam nas margens do rio, com uma canoa.

Um equipamento para tentar remover a estrutura de concreto que afundou na água chegou pela manhã. Os corpos dos três trabalhadores que já foram encontrados ontem estão presos na estrutura, que pesa cerca de 80 toneladas.

A obra foi embargada pelo Ministério do Trabalho e Emprego, que acompanha as buscas e a remoção. O auditor do ministério Donald Santos afirmou que o problema é mais complexo do que se imaginava. "Não foi um problema de estrutura ou de segurança do trabalho, foi de engenharia mesmo", afirmou.

Dos cinco feridos, dois foram atendidos na hora do acidente, por volta das 8h30 dessa segunda-feira, e os outros três estavam internados em Piracicaba e foram liberados nesta manhã. Três deles caíram na água e conseguiram sair nadando. Outros dois ficaram pendurados no pilar da obra da ponte e dois helicópteros Águia da Polícia Militar tiveram que fazer o resgate.

Familiares dos três mortos e dos desaparecidos acompanham os trabalhos de remoção.

O anel viário é um continuação da Rodovia do Açúcar (SP-), que liga Piracicaba a Salto. Ele vai ligar a Rodovia Luís de Queiroz (SP-304), passando pela SP-147 - local da ponte onde ocorreu o acidente -, até a rodovia Cornélio Pires (SP-127), entre Piracicaba e Rio Claro.

Mais conteúdo sobre:
AcidenteSPPiracicababuscas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.