Bope usa bombas e balas contra grevistas em Maceió

Policiais do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar de Alagoas (Bope) usaram bombas de efeito moral e balas de borracha contra servidores grevistas, expulsos hoje da frente do prédio da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), no centro de Maceió. A desocupação começou durante a madrugada, quando apenas as lideranças dos servidores dos servidores se encontravam no local. Os policiais retiraram todo o material deixado pelos grevistas da Educação, da Saúde e da Polícia Civil. O prédio foi isolado pelo Bope e o acesso é restrito a funcionários da secretaria. Mas o clima no local continua tenso.O prédio da secretaria tinha sido invadido ontem pela manhã. À noite, os servidores decidiram desocupá-lo, mas permaneceram na frente da secretaria, aguardando as negociações com o governo. Segundo o vereador Thomaz Beltrão, do PT de Maceió, o governo tinha descartado o uso da força contra os grevistas. "Para nossa surpresa, o Bope foi acionado e expulsou de forma truculenta nossos companheiros da porta da Sefaz", protestou. Os servidores ameaçam radicalizar o movimento, em represália à ação do Bope. "As negociações não avançaram, porque o governo se nega a atender às reivindicações das categorias", informou o presidente da CUT em Alagoas, Isack Jackson. Segundo ele, os servidores da Saúde reivindicam o mesmo reajuste concedido aos médicos (39%), os policiais querem equiparação salarial com peritos e os servidores da Educação exigem o enquadramento do Plano de Cargos e Carreira (PCC).

RICARDO RODRIGUES, Agencia Estado

17 de outubro de 2007 | 13h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.