Bosco: noite de herói no Morumbi

Reserva de Rogério Ceni, goleiro faz grandes defesas e se torna o destaque da noite, ao lado de Washington

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

29 de outubro de 2009 | 00h00

O resultado veio no sufoco. O São Paulo não jogou tão bem como se poderia esperar de um campeão. Mas conseguiu uma vitória de entusiasmar seus jogadores, ainda mais quando chega à tão cobiçada liderança do Brasileiro. "Esse time está com pinta de campeão", exaltou Washington, autor do gol salvador, um dos destaques ao lado de Bosco, que teve grande atuação. "O jogo foi uma final. Um jogaço com dois times que merecem estar na ponta. Que isso sirva de exemplo para nós nas próximas seis partidas", acrescentou o atacante.

O Palmeiras perdeu a liderança do Brasileiro pela primeira vez desde a 15ª rodada, mesmo que tenha sido de forma provisória. E os são-paulinos não têm dúvida de que os rivais entrarão em campo pressionados hoje para enfrentar o Goiás. "Tantas equipes passaram por essa posição e não aproveitaram. Agora ela é nossa", comemorou o zagueiro André Dias. "Se os palmeirenses e também o Atlético-MG tiverem um resultado ruim como o do Flamengo (perdeu para o Barueri, ontem, por 2 a 0), vão nos ajudar."

Muito do resultado deve ser creditado na conta de Bosco, que ontem substituiu o capitão Rogério Ceni, expulso no jogo anterior. O goleiro fez pelo menos quatro defesas decisivas quando o Internacional mais pressionou. "Entrar no time do São Paulo nunca é fria", disse o jogador. "Toda a defesa é difícil num jogo como o de hoje (ontem) e eu fico satisfeito de ter sido importante nesta vitória."

Richarlyson vai passar por exame de ressonância magnética hoje para verificar a gravidade de sua lesão na coxa direita. O volante saiu de campo ainda no primeiro tempo com muita dor. "Não queria deixar o time num momento como esse", lamentou, aos prantos, enquanto era consolado pelo médico são-paulino José Sanchez. Dificilmente enfrenta o Barueri, sábado, no Morumbi.

O São Paulo pode ser denunciado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por causa de uma invasão de campo no primeiro tempo. Tratava-se de um garoto de 18 anos, do Piauí, vestido de jogador, que pedia oportunidade como atleta profissional. Os dirigentes tricolores fizeram pressão nos delegados da partida para tentar desqualificar a atitude: disseram aos delegados que o menino não era são-paulino, mas provavelmente não tiveram êxito em evitar anotação em súmula.

PRIMEIRA APOSTA PARA 2010

A primeira aposta da diretoria são-paulina para 2010 já assinou contrato com o clube tricolor. Fernandinho, atacante que disputa o Brasileiro pelo Barueri e marcou quatro gols, firmou compromisso de quatro anos. O jogador era disputado pelo Cruzeiro, que ameaça romper a parceria com a Traffic caso a empresa não leve para a Toca da Raposa "um grande jogador" como pede o presidente do clube mineiro, Zezé Perrella.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.