Com Operação Bullish, ações da JBS recuam mais de 3%

Bovespa, porém, abre em alta puxada por reação positiva ao balanço da Petrobrás, cujas ações sobem mais de 3%

Ana Luísa Westphalen, O Estado de S.Paulo

12 Maio 2017 | 11h03

A Bovespa abriu em alta nesta sexta-feira, impulsionada principalmente pelos ganhos de mais de 3% das ações da Petrobrás, numa reação positiva do mercado ao balanço da estatal. Às 10h30, o Ibovespa subia 0,89%, aos 68.141,77 pontos, enquanto os papéis da companhia avançavam 3,39% (ON) e 3,71% (PN).

A Petrobrás registrou lucro líquido de R$ 4,449 bilhões no primeiro trimestre deste ano, conforme divulgado ontem após o fechamento. O resultado superou a previsão dos analistas. Profissionais destacam a melhora da eficiência da companhia, a desalavancagem e o fluxo de caixa livre positivo.

Por outro lado, JBS ON recua 3,10%. A empresa dos irmãos Joesley e Wesley Batista é o principal alvo da operação Bullish, deflagrada nesta manhã pela Polícia Federal, que investiga supostas irregularidades no repasse de R$ 8,1 bilhões do BNDES à JBS.

No mercado de câmbio, o dólar opera em queda ante o real, tendo renovado mínimas na última hora, em meio à perda de força da moeda norte-americana e dos juros dos Treasuries, paralelamente ao fortalecimento do petróleo, após dados de vendas no varejo e de inflação mais fracos do que o esperado dos EUA.

Indicadores fracos reduzem as chances de o Federal Reserve elevar os juros na reunião do mês que vem. Há pouco, o dólar estava negociado a R$ 3,1346 no balcão (-0,33%), enquanto a moeda para junho era cotada a R$ 3,1495 (-0,21%).

Na renda fixa, as taxas futuras seguem em viés de baixa, reagindo à queda de 3,2% no volume de serviços prestados em março e diante do otimismo do mercado com o andamento da reforma da Previdência. Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em janeiro de 2018 apontava 9,170%, de 9,180% no ajuste de ontem. O DI para janeiro de 2019 exibia 9,00%, de 9,01% anteriormente. Já o vencimento para janeiro de 2021 estava em 9,71%, ante 9,73% na véspera.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.