Bovespa tem novo recorde do ano

Bons indicadores nos EUA garantem alta dos índices acionários no exterior e o 3º dia de ganhos no mercado local

Claudia Violante, Silvana Rocha e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

26 de novembro de 2009 | 00h00

A Bovespa subiu ontem pelo terceiro dia seguido e renovou o recorde de pontuação do ano, influenciada pelo sinal positivo das bolsas externas e pelos bons indicadores nos Estados Unidos. A sessão, no entanto, foi um pouco apática na véspera do feriado pelo Dia de Ação de Graças nos EUA, hoje. O Ibovespa ampliou a alta apenas no final: subiu 0,89% e terminou em 67.917,08 pontos, maior pontuação deste ano e também a mais alta desde 17 de junho de 2008. A renda pessoal nos Estados Unidos aumentou 0,2% em outubro; os gastos com consumo cresceram 0,7% no mês, ambos acima das expectativas dos economistas; e as vendas de imóveis residenciais novos avançaram 6,2% no mês passado, enquanto se esperava uma queda de 1%. Em Nova York, o Índice Dow Jones também bateu recorde, com alta de 0,29%, aos 10.464,40 pontos; o S&P 500 subiu 0,45% e o Nasdaq ganhou 0,32%. No câmbio, o apetite ao risco enfraqueceu o dólar. O euro ultrapassou US$ 1,51 por volta das 18h38. No mercado local, o dólar cedeu 0,52%, a R$ 1,726 no balcão. Os juros futuros devolveram a queda da véspera. A taxa de janeiro de 2011 subiu a 10,20%.

FRASE

Luis Otávio de S. Leal

Econ.-chefe do ABC Brasil ao AE Broadcast Ao Vivo

"Essas medidas de desoneração de impostos têm um custo, que é o de ter um superávit primário menor e um aumento de juros

antes do que se previa"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.